Trabalhar fora da área não é sinal de fracasso!


Começamos a desenhar a nossa carreira perto de 17, 18 anos de idade. Ainda durante o ensino médio, nos vemos obrigados a olhar para as áreas de atuação e buscar alguma identificação - Exatas, Humanas ou Biológicas???


Cedo demais! Começamos a traçar o nosso futuro ainda muito jovens, inexperientes e sem maturidade. No entanto, a pressão da escola, da família e da sociedade nos direcionam para uma tomada de decisão precoce. E muitas vezes nos arrependemos delas.


Uma carreira de sucesso teoricamente deveria começar a ser planejada desde muito cedo. Claro que temos diversos exemplos de sucesso, de quem acertou logo de cara e teve as melhores oportunidades. Mas não é o que ocorre com a maior parte das pessoas.


Zygmunt Bauman, sociólogo polonês, falava sobre tempos líquidos que vivemos. Antigamente, tudo era muito valorizado pela solidez - caminhos certos, escolhas certas. Mas as mudanças estão acontecendo de maneira muito rápida! Quantos negócios de sucesso desapareceram (lembre-se da Blockbuster) e quantos tiveram que se reinventar para sobrevivência...


A liquidez revela a instabilidade que encontramos no mundo atual. Então por que somos obrigados a ter uma carreira linear? É vergonha atuar fora da área que estudamos?

Nem sempre aquela escolha que fizemos na adolescência é a que percebemos como "certa". Isso porque o autoconhecimento é algo constante e que se constrói conforme o amadurecimento.